Agenda Guia - Sua lista de informações das melhores empresas do Brasil!

MENU

FIBROMIALGIA: DOENÇA INVISÍVEL QUE CAUSA DOR EM VÁRIAS PARTES DO CORPO

Sintomas e convívio com a Doença!

Por Agenda Guia dia em Saúde

FIBROMIALGIA: DOENÇA INVISÍVEL QUE  CAUSA DOR EM VÁRIAS PARTES DO CORPO

A dor é intensa por todo o corpo, focada nas pernas, quadris, costas, braços, ombros e pescoço, atingindo múltiplos pontos sensíveis e causando além de fadiga, rigidez muscular, dor após esforço físico e alterações no sono. Essa é a fibromialgia, uma síndrome clínica dolorosa de origem e causas ainda desconhecidas e sem cura.
Muitas vezes quando o médico não está familiarizado com o diagnóstico de fibromialgia, ela é confundida com a Síndrome de Fadiga Crônica pela semelhança dos sintomas. No entanto, os tratamentos são diferentes. No caso da fibromialgia, a atividade física é fundamental e benéfica.

A doença pode aparecer a qualquer momento da vida. Estima-se que de cada dez pacientes com fibromialgia, nove são mulheres. Dessas, a idade geralmente é entre 30 e 60 anos. No entanto, pode ocorrer com pessoas mais velhas, crianças e adolescentes.
Médicos do Hospital Angelina Caron destacam que o tratamento ideal da dor crônica se fundamenta no controle, mas não é possível ainda a eliminação da doença. Um dos meios para controlar os sintomas é a atividade física regular, que deverá ser mantida para o resto da vida.

FIBROMIALGIA: DOENÇA INVISÍVEL QUE  CAUSA DOR EM VÁRIAS PARTES DO CORPOPesquisadores acreditam que a síndrome é causada por um descontrole na forma como o cérebro processa os sinais de dor.

Causas

As causas da fibromialgia ainda são desconhecidas, mas existem vários fatores que estão frequentemente associados a esta síndrome. Confira:

  • Genética: fibromialgia é muito recorrente em pessoas da mesma família, o que pode ser um indicador de que existem algumas mutações genéticas capazes de causar a síndrome;
  • Infecções por vírus e doenças autoimunes também podem estar envolvidas nas causas da fibromialgia;
  • Distúrbios do sono, sedentarismo, ansiedade e depressão também podem estar ligados de alguma forma à síndrome.

Fatores de risco

Os médicos alertam para alguns fatores de risco que facilitam o surgimento de fibromialgia. Confira:

  • Sexo: a síndrome é mais comum em mulheres do que em homens, em especial naquelas entre 20 e 50 anos;
  • Histórico familiar: a doença é recorrente entre membros de uma mesma família, indicando que talvez exista algum fator genético envolvido nas suas causas.

Sintomas de Fibromialgia

Confira os principais sintomas da fibromialgia:

  • Dor generalizada: a dor associada à fibromialgia é constantemente descrita como uma dor presente em diversas partes do corpo e que demoram pelo menos três meses para passar;
  • Fadiga: pessoas portadores dessa síndrome frequentemente acordam já se sentindo cansadas, mesmo que tenham dormido por muitas horas. O sono também é constantemente interrompido por causa da dor, e muitos pacientes apresentam outros problemas relativos ao sono, a exemplo da apneia e insônia;
  • Dificuldades cognitivas: para os portadores de fibromialgia, é mais difícil se concentrar, prestar atenção e focar em atividades que demandem esforço mental;
  • Dor de cabeça recorrente ou enxaqueca clássica, dor pélvica e dor abdominal sem causa identificada (Síndrome do intestino irritável);
  • Problemas de memória e de concentração;
  • Dormência e formigamento nas mãos e nos pés;
  • Palpitações;
  • Redução na capacidade de se exercitar.

Buscando ajuda médica

Os sintomas de fibromialgia são muito similares a sintomas de outras síndromes. Geralmente ele é feito por um reumatologista.

Por isso, é importante que, durante da consulta, você:

  • Descreva todos os seus sintomas e a intensidade das dores que sente;
  • Fale sobre problemas médicos que teve no passado, bem como o de seus parentes;
  • Relate todos os medicamentos e suplementos que toma

Diga ao médico se tem problemas ao dormir. Ele deverá perguntar também sobre eventuais sintomas de depressão e ansiedade.

Diagnóstico de Fibromialgia

O diagnóstico da fibromialgia é feito clinicamente (por meio da história dos sintomas e do exame físico) Não existem testes laboratoriais que possam realizar o diagnóstico, mas o médico pode solicitar exames de sangue para que outras doenças, com sintomas e características parecidos, sejam descartadas entre os possíveis diagnósticos.

Tratamento de Fibromialgia

O tratamento de fibromialgia é mais eficaz quando são unidos medicamentos e cuidados não medicamentosos. O foco é evitar a incapacidade física, minimizar os sintomas e melhorar a saúde de modo geral.

O tratamento pode envolver:

  • Fisioterapia;
  • Programa de exercícios e preparo físico;
  • Métodos para alívio de estresse, incluindo massagem leve e técnicas de relaxamento;
  • Terapia cognitivo comportamental.

Existem várias classes de medicamentos que são utilizados em conjunto com o tratamento não medicamentoso. As drogas mais utilizadas são analgésicos de ação central, incluindo algumas drogas antidepressivas e antiepilépticas que têm esta ação analgésica. Medicamentos para melhorarem o padrão do sono e miorrelaxantes também são, frequentemente, utilizados isoladamente ou em conjunto com medicamentos analgésicos.

A terapia cognitivo-comportamental é uma parte importante do tratamento. Com ela, você aprenderá a:

  • Lidar com pensamentos negativos;
  • Manter um diário de seus sintomas e dores;
  • Reconhecer o que agrava seus sintomas;
  • Buscar praticar atividades agradáveis;
  • Estabelecer limites.

Os grupos de apoio também podem ser úteis.

Entre outras recomendações estão:

  • Seguir uma dieta bem balanceada;
  • Evitar cafeína;
  • Manter uma boa rotina de descanso para melhorar a qualidade do sono;
  • Acupressão e acupuntura.

Os casos graves de fibromialgia podem ser encaminhados a uma clínica especializada em dor.

Medicamentos para Fibromialgia

Os medicamentos mais usados para o tratamento de fibromialgia são:

  • Alginac
  • Ciclobenzaprina
  • Cymbalta
  • Lyrica
  • Miosan
  • Mirtax
  • Musculare
  • Nimesulida

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Convivendo/ Prognóstico

A fibromialgia é uma síndrome de longa duração com flutuações frequentes na intensidade da dor. Seguindo o tratamento corretamente e tomando os devidos cuidados dentro de casa, os sintomas tendem a melhorar. Mais importante ainda: com os devidos cuidados, a pessoa com fibromialgia não perde sua capacidade funcional.

Em casa, você pode tomar algumas medidas para ajudar no tratamento e a conviver melhor com a doença. Veja exemplos:

  • Reduza o estresse diário;
  • Durma o suficiente para estar descansado no dia seguinte;
  • Exercite-se regularmente;
  • Mantenha um mesmo ritmo de vida;
  • Preserve um estilo de vida saudável.

Prevenção

Não há formas de prevenção para a fibromialgia.

 

FONTE

Revisado por: Ari Halpern, reumatologista do Hospital Israelita Albert Einstein - CRM: 51281

Sociedade Brasileira de Reumatologia

Ministério da Saúde

Minha vida

Hospital Angelina Caron

 

 

 

 

Deixe seu comentário aqui: